SMART WORLD – IoT como base de um mundo melhor

1º. Dia: SMART WORLD: O que pode ser transformado por IoT

9h00 – Abertura do Congresso e Sessão inicial

Coordenador da Abertura: Gabriel Antonio Marão

Gabriel Antonio Marão
Gabriel Antonio MarãoFórum Brasileiro de IoT, Presidente

Fórum Brasileiro de IoT e sua missão

Formado em Engenharia Eletrônica pela FEI – Faculdade de Engenharia Industrial, em 1971, desenvolveu-se em Tecnologia da Informação na IBM e no Banco Itaú. Na IBM, gerenciou sistemas de grande porte de uso compartilhado por empresas que utilizavam os serviços IBM. Executivo de TI do Banco Itaú, responsável por desenvolvimento de sistemas de grande porte, bem como por desenvolvimento do pessoal técnico e por novas tecnologias. Vice Presidente Itautec dirigiu as Divisões de Componentes e de Informática e, a Divisão de Comercio Exterior, sendo o Executivo responsável pelas operações de vendas no exterior de produtos de hardware e de software,  aplicativos e ferramentas de desenvolvimento. Responsável pela abertura e implantação das operações da Itautec nos EUA, Argentina, México, Equador e Espanha, foi seu Diretor Estatutário nas operações nos EUA, Portugal e Espanha, tendo sido o condutor do processo de aquisição de empresa espanhola e sua integração à operação de Portugal. Foi Diretor Superintendente da Adiboard, Joint Venture entre a Itautec e a empresa americana Kolmorgen. Em sua carreira foi executivo das empresas: ENGESA, IBM, BANCO ITAÚ, ITAUTEC, ITAUCOM, Itautec América (EUA), Banctec (Portugal), RIVA (Espanha). Atualmente é sócio administrador da Perception serviços de Informática e Membro dos conselhos do CTI – Centro Tecnológico de Informática Renato Archer e do ITS – Instituto de Tecnologia de Software.

Presidente do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas.

Carlos Henrique de Brito Cruz
Carlos Henrique de Brito CruzFAPESP, Diretor Científico

Ambiente de Pesquisa no Brasil

O Sistema de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Brasil tem evoluído nos últimos 30 anos, como resultado de importantes esforços do setor governamental (nacional e estados) e do setor empresarial. Entre estes esforços contam-se iniciativas como a expansão dos cursos de graduação e pós-graduação, criação de incentivos à P&D empresarial, estímulo à interação entre universidades e empresas em pesquisa, expansão das conexões internacionais em pesquisa e financiamento à pesquisa em pequenas empresas de base tecnológica.

Serão mostradas algumas das características do sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação e abordadas algumas destas iniciativas e seus resultados, evidenciando a heterogeneidade existente no país e alguns dos desafios atuais.

Carlos Henrique de Brito Cruz nasceu em 19 de Julho de 1956 no Rio de Janeiro. Graduou-se em Engenharia de Eletrônica no ITA em 1978. Obteve o título de Mestre em Ciências em 1980 e o de Doutor em Ciências em 1983, no Instituto de Física “Gleb Wataghin”, da Unicamp.

Foi pesquisador convidado do Instituto Ítalo Latino Americano na “Universitá degli Studi”, em Roma e visitante residente nos Laboratórios Bell da AT&T, em Holmdel, NJ.  Sua área de pesquisa é o estudo de fenômenos ultra-rápidos com lasers de pulsos ultracurtos, com ênfase no estudo de processos eletrônicos em escala de tempo de femtossegundos em materiais ópticamente não lineares voltados a aplicações em comunicações ópticas.

Brito Cruz foi Diretor do Instituto de Física “Gleb Wataghin”, na Unicamp e Pró-Reitor de Pesquisa da Unicamp. Foi Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Física e membro do Comitê Consultivo Internacional da “Optical Society of América”.  Desde 2000 é membro da Academia Brasileira de Ciências. Foi Presidente da FAPESP de 1996 a 2002 e Reitor da Unicamp de 2002 a 2005. Desde Abril de 2005 é Diretor Científico da FAPESP.

Brito Cruz é membro da Academia Brasileira de Ciências, Fellow da American Association for the Advancement of Science e membro do Conselho Gestor da Universidade das Nações Unidas. Recebeu a Ordre des Palmes Academiques da França, a Ordem do Mérito Científico do Brasil e a Ordem do Império Britânico (OBE) em 2015.

Fábio Gandour
Fábio GandourIBM Research Division

Computação Cognitiva e a Internet das Coisas: O saber se espalha na rede

Fábio Gandour é cientista-chefe do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil. Gandour foi pioneiro em vislumbrar a necessidade de se criar um laboratório de pesquisa no Brasil para concentrar esforços em inovação e produzir um impacto positivo nos negócios. Para sustentar essa visão, promove os conceitos de “Ciência como Negócio”, os quais tem sido bem aceitos nas esferas pública e privada, no Brasil e no âmbito internacional. Gandour é funcionário da IBM há 26 anos. Sua responsabilidade inicial na empresa foi na área de Informática ligada à Saúde. Neste segmento, atuou no desenvolvimento de soluções e estratégias de marketing. Mais recentemente, foi gerente de Novas Tecnologias, estabelecendo um efetivo canal de colaboração entre os laboratórios da IBM Research Division e o mercado local. O cientista é graduado em Medicina pela Universidade de Brasília e PhD em Ciências da Computação. Além de coordenar a área de pesquisa na filial brasileira da companhia, é membro da IBM Academy of Technology e da New York City Academy of Sciences, duas instituições tradicionais no contexto da Inovação, Ciência, Tecnologia e Pesquisa.

A Tecnologia cria certas “marés” que varrem o planeta com intensidade variável. Algumas destas “marés” são rápidas e de baixa intensidade. Outras são verdadeiros tsunamis ! Recentemente, estamos sobe o efeito de duas “marés”: a da Internet das Coisas e a da Computação Cognitiva. Como estas “marés” ocorrem quase simultaneamente, existe alguma interação entre as duas.

E se um destes movimentos já altera muito o cenário em várias dimensões, imaginem dois movimentos simultâneos ! É este cenário que o palestrante irá analisar, abordando as sinergias e antagonismos eventuais e os impactos nos meios de produção, na economia e nos processos produtivos de mão-de-obra para construir trabalhadores adequados a este mundo “pós-maré”.

Coffee break

11h00 – 11h25

Sessão 1: As grandes revoluções da IoT para transformar o mundo

O objetivo conceituar o que é internet das coisas, sua contribuição para transformar  a sociedade em um mundo melhor, mais racional, sustentável e inteligente e os benefícios sociais, políticos, econômicos, tecnológicos e  culturais na sua adoção, apresentando algumas das principais aplicações

Coordenador da sessão: Alberto Paradisi

Alberto Paradisi
Alberto ParadisiCPqD, Vice Presidente de P&D

Visão Geral de IoT

A Internet-das-Coisas (IoT) apresenta certamente um grande potencial de impacto nos negócios e na vida das pessoas num horizonte de curto, médio e longo prazo. Fatores críticos de sucesso para a realização deste potencial são:

  • Considerar a IoT como integrante de uma (r)evolução tecnológica da qual fazem parte outras tecnologias tais como a inteligência artificial, a robótica, a realidade aumentada e virtual, a eletrônica vestível e a manufatura aditiva, entre outras;
  • Garantir a conectividade adequada às aplicações e serviços que se pretende implementar.
  • Diante do crescimento no numero e na complexidade dos dispositivos, buscar arquiteturas mais escaláveis, abertas e seguras do que as que são propostas e implementadas hoje.
  • Tratar a experiência do usuário como prioridade.
He graduated in Electronic Engineering from University of Genoa, Italy (1990), received his PhD in Electronic Engineering from Politecnico of Turin, Italy (1993) and MBA in Business Management from Fundação Getulio Vargas, Brazil (2004).

He spent his professional career at CPqD, where was appointed Director of Innovation in 2012 and Vice-President of Research and Development in 2014. He has experience in research and development, coordination and management in the area of Electronic Engineering and innovation management with emphasis in telecommunication systems. He mainly worked in the following technological areas: simulation and modeling of optical devices and sub-systems, communication networks and traffic engineering, WDM optical transmission systems, optical amplification, optical switching, protection and restoration, performance monitoring in WDM optical networks, WDM, OTN an dEthernet networks with ASON/GMPLS control plane, digital signal processing in optical systems, optical access networks.

Carlos Venicius Frees
Carlos Venicius FreesABDI - Smart Grid / Smart City, Project leader

Smart Cities – Projetos estruturantes no Brasil para elevar a potencialidade da cadeia de TIC/IoT

Como apoiar a transformação das cidades no Brasil em “Cidades Inteligentes”, integrar e fortalecer empresas de TIC e Eletroeletrônicos (IoT) para que forneçam soluções certificadas para cidades inteligentes, e que atendam às demandas municipais e ao mesmo tempo  propiciem o desenvolvimento econômico e social.

Especialista Líder de projeto na Agencia Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI para as temáticas de Redes Elétricas inteligentes e Cidades inteligentes .

Coordena o grupo de trabalho governamental, nas temáticas, com parceria de instituições públicas e privadas, com destaque aos projetos de:

– Mapeamento da Cadeia Fornecedora de Redes Elétricas Inteligentes no Brasil – subsídios a Política Industrial Brasileira.

– Criação dos Núcleos Brasileiros para Desenvolvimento de Instituições e Soluções para Redes e Cidades Inteligentes e Humanas.

Paulo R. dos Santos
Paulo R. dos SantosFesto, Gerente Geral de Produtos para as Américas

Industrial IoT – The Revolution of Industry 4.0

O desenvolvimento Industrial – histórico das revoluções industriais

As transformações no cenário atual e os impactos na indústria

As tendências no ambiente de produção

Industria 4.0: A Produção do Futuro

Os pilares da Industria 4.0

A Industria 4.0 no Brasil hoje

Nascido em São João da Boa Vista – SP, em 1965.

Engenheiro Industrial Mecânico, em 1990, pela Universidade Braz Cubas,

MBA em Gestão e Engenharia do Produto pela Escola Politécnica da USP,

Especializações em Gerenciamento do Desenvolvimento de Produtos; Dinâmica Organizacional e Gestão de Pessoas e Administração de Empresas na FGV.

Gerente Regional de Produtos para as Américas na Festo.

Um dos pioneiros na apresentação do tema “Industria 4.0” no Brasil.

Inspetor do CREA SP / Membro da VDI / do comitê de tecnologia e inovação da AHK / do Conselho Tecnológico da ABIMAQ.

Paulino Souza Neto
Paulino Souza NetoIdenthis, CMO

Problemas correntes da Saúde e soluções baseadas na IoT

A complexidade da Medicina tem progredido vertiginosamente. Da mesma forma os problemas decorrentes de seu exercício. Do simples ato de higienizar as mãos aos mais complexos e raros diagnósticos, a IoT desponta como o principal meio para prover soluções efetivas e eficazes em benefício dos usuários, médicos , enfermeiros e gestores dos sistemas de Saúde.

Médico pela Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA

Angiologista e Cirurgião Vascular pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP – EPM

Cirurgião Vascular pelo Conselho Regional de Medicina – CRM

Radiologista Intervencionista e Cirurgião Endovascular pelo Colégio Brasileiro de Radiologia – CBR

Criador do sistema SurgiSafe de monitoramento contínuo de têxteis cirúrgicos .

Sócio e CMO da Identhis, empresa provedora de Soluções de Inteligência em Saúde baseadas na IoT, onde é co-criador de mais de 12 patentes de produtos para a Saúde baseados na IoT.

Intervalo para o Almoço

13h05 – 14h20

Sessão 2: As principais aplicações e serviços para melhorar a vida nas cidades

Apresentar e conceituar as aplicações e serviços no contexto das cidades inteligentes, para tornar melhor a vida das pessoas.

Coordenador da Sessão: Sérgio Takeo Kofuji

Fernando Martins
Fernando MartinsAgroTools, CEO

Agronegócio Digital

Teremos 9.5 bilhões de pessoas para alimentar em 2050. Forças macro-econômicas estão determinando o rápido avanço do Agronegócio Digital gerando consequentemente demandas exponenciais por novas tecnologias como veiculos autonomos, robôs, sensores conectados, federações de dados e bigdata geoespacial. O desafio do Agronegócio digital requer um sistema de sistemas e para isso é necessario que tenhamos plataformas tecnológicas e um marco regulatório que permitam a circulação de dados.

Fernando Martins é um apaixonado por inovação tecnológica e tem mais de 20 anos de experiência em desenvolvimento de novos produtos em empresas de tecnologia como IBM, Rockwell, Allen-Bradley, e na Intel aonde atuou em diversas posições de liderança como Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento no Intel Labs Oregon, Diretor de Planejamento Estratégico na Intel Corporation EUA, e Presidente e Diretor Executivo da Intel do Brasil.

Fernando é membro eleito do conselho do Centro de Inovação no Agronegócio, membro do Movimento Empresarial pela Inovação da CNI; foi membro eleito do conselho de administração da Câmara Americana AMCHAM-Brasil por 3 anos, foi Vice-Presidente eleito do conselho da BRASSCOM (associação brasileira da indústria de TI) por 2 mandatos – aonde foi responsável pela formação de políticas públicas para Internet das Coisas, Segurança Digital e Marco Civil da Internet.

Fernando tem mais de 40 publicações, incluindo 26 patentes. Obteve seu Ph.D. em Engenharia Elétrica e de Computação pela Carnegie Mellon University, é bacharel e mestre em Engenharia Elétrica e de Computação pela Escola Politécnica da USP, é graduado do programa OGI/Stanford Executive Education e Conselheiro de Administração certificado pelo IBGC.

Sua paixão mais recente é o Agronegócio Digital – e isso naturalmente o atraiu para a AgroTools – uma empresa única com uma plataforma integrada que implementa a visão de federação e circulação de dados necessária para que a produtividade do setor cresça conectando produtores, fazendeiros, instituições financeiras, distribuidores. www.agtmobile.com.br

Reinaldo De Bernardi
Reinaldo De BernardiCIAg, Diretor

IoT e Agricultura – uma experiência no interior do Brasil

Muito se ouve sobre o crescimento da população mundial e o consequente risco da falta de alimentos.

Produzir mais é a solução óbvia, mas qual parcela deste produzir mais poderia ser atendida em outros movimentos como por exemplo menos desperdício ou até produzir melhor ?

A apresentação discorre sobre utilização de tecnologias como IoT, Big Data e Analytics como ferramentas para auxiliar na busca pela solução do problema.

Reinaldo de Bernardi é graduado em Engenharia Eletrônica e Telecomunicações e também em Engenharia Civil. Todos pela Faculdade de Engenharia de Sorocaba.

Possui Mestrado em Engenharia de Sistemas (Controle) e Doutorado em Ciências (Robótica) ambos pela Poli USP. Além de um MBA pela Fundação Getulio Vargas.

Nos últimos 30 anos tem se envolvido em atividades de P&D, em desenvolvimentos de plataformas de hardware, software e algoritmos para aplicações diversas em controle, aquisição e transmissão de dados e radio frequência. Atuando anteriormente em áreas como enriquecimento de urânio, eletrônica de consumo, robótica e uma passada pelo mundo da microeletrônica, atualmente é gestor do Centro de Inovação no Agronegócio: focado em IoT, Big Data e Analytics; pesquisando a utilização dessas tecnologias em aplicações em Agricultura.

Coffee break

15h15 – 15h40

Mario Lemos
Mario LemosGerente Sênior da Accenture Digital (Internet of Things - IoT)

From Business to IoT Solution

Apresentaremos cases da jornada de como organizações partiram dos desafios de negócios até chegarem a uma solução de IoT – muitas delas bem-sucedidas e outras que ainda não se provaram efetivas. Para atingir resultados inovadores e funcionais em IoT, é preciso entender os desafios, conectar o ecossistema do setor para construir uma solução que viabilize o caso de negócio.

Mais de 10 anos de atuação na área de TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) e mais de cinco anos de experiência em M2M e IoT. Já liderou o desenvolvimento de negócios estratégicos e inciativas de inovação em IoT para diversas indústrias, com foco em transportes (carro conectado), cidades inteligentes, saúde e utilities (smart metering).

Graduado em Engenharia de Telecomunicações (Inatel) e pós-graduado em Administração de Empresas (Insper). Antes de ingressar na Accenture Digital, passou por diversas empresas, como Telefonica Vivo e Ericsson.

Eduardo Arcas
Eduardo ArcasGerente de Cloud e IoT, Ericsson

IoT como representação digital do mundo real – o desafio de gerenciar tamanho volume de informação.

Internet das coisas é em poucas palavras a representação digital do mundo real. Qualquer coisa no mundo real que desperte o interesse em observar, interagir,  controlar e analisar terá uma representação digital. As diferentes propriedades dessas “coisas” serão coletadas através da utilização de sensores, que em muitas vezes vai requerer essa coleta em tempo real. A representação digital é gerenciada por softwares inteligentes que coletam e analisam uma enorme variedade e quantidade de dados além de conectar e controlar as “coisas” em tempo real.

Como Gerente de Cloud e IoT, Eduardo tem liderado as discussões e oportunidades da Ericsson em IoT na América Latina e no Caribe. Nos últimos 6 anos tem trabalhado com temas de IOT / M2M tanto com operadores como com empresas.  Seu principal foco de atuação está nas Verticais: Saúde, Transporte, Cidades e casas Inteligentes. Para o setor de Transportes, ele foi um dos principais responsáveis pelo sucesso da solução dos ônibus 3G conectados em Curitiba (Brasil), conhecida em todo o mundo. Eduardo trabalhou com a maior parte do portfólio da Ericsson, de fixo para redes móveis e participou ativamente dos grandes projetos de 2G, 3G e 4G com operadoras na América Latina, América do Norte e Ásia. Eduardo é Engenheiro Eletrônico pós-graduado em Administração

Políticas Públicas para IoT

Coordenador da Sessão: Gabriel Antonio Marão

Ricardo Rivera
Ricardo RiveraBNDES, Gerente Departamento Indústrias de TIC

Um planejamento de 5 anos para IoT no Brasil

“Compreendendo a janela de oportunidade que se coloca para o país com a implantação do IoT, o BNDES apresentará o estudo técnico que tem por objeto de propor um plano de ação 2017-2022 com políticas públicas que potencializem os impactos econômicos, tecnológicos, produtivos e o bem-estar da sociedade brasileira.”

É Gerente do Departamento de Indústrias de TIC do BNDES, onde ingressou em 2003. Trabalhou como assessor da presidência para TICs (2008-11), e atualmente coordena o estudo para proposição de plano nacional de IoT (2017-2022) pelo BNDES. Formado em Engenharia de Produção pela UFRJ e Mestre em Administração pelo COPPEAD.
Thales Marçal Vieira Netto
Thales Marçal Vieira NettoGerente de Projetos, MCTIC

Plano nacional de IoT

Em minha apresentação será exposta a proposta de Plano de Internet das Coisas que será trabalho pela Câmara IoT e posteriormente colocada em Consulta Pública para avaliação de toda a sociedade brasileira

Thales Marçal Vieira Netto, é economista do Ministério do Ministério das Comunicações desde 2010. Devido a fusão entre o Ministério das Comunicações e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação em 2016, com isso passou a compor o quadro do novo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Nasceu em 1975, em Igarapava/SP.

É economista graduado pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, no Campus de Ribeirão Preto – FEARP/USP e pós-graduado em Gestão Pública pela UPIS/Brasília.

Hoje, ocupa o cargo de Gerente de Projetos do MCTIC e conduz os trabalhos da Câmara IoT para a formulação de um Plano Nacional de Internet das Coisas.

2º Dia: SMART WORLD: O QUE IOT PRECISA PARA MUDAR O MUNDO

9h00 – Sessão 3: Alicerces da IoT para sustentar a inovação e o futuro

Quais são os principais fatores e bases tecnológicas para suportar os projetos com foco em internet das coisas

Coordenador da Sessão: Sérgio Takeo Kofuji

Sérgio Takeo Kofuji
Sérgio Takeo KofujiPOLI/USP

Interoperabilidade e Semântica

Esta palestra discute a questão da interoperabilidade semântica, dentro de um cenário onde a maioria das discussões se restringe à interoperabilidade técnica e sintática. A interoperabilidade semântica tem sido alvo de estudos acadêmicos em outras áreas, incluindo sistemas de informação em saúde, e consiste na capacidade dos softwares de comunicarem informação e ter essas informações corretamente interpretadas pelos softwares. Esta palestra irá apresentar o problemas e iniciativas para atacar esta questão.

Assistant Professor at the University of Sao Paulo. FIWARE LAB Coordinator at USP, Brazil, an innovation hub in the Future Internet technologies. Situated in EPUSP and federated with other Europe’s FIWARE LABs, FIWARE Lab is an open Platform whose goal is to disseminate Innovation through Startups in order to assess conceptual and application test uses. It promotes events such as lectures and workshops partnered with Universities, companies and Governmental Institutions aiming to promote the Platform within Smart Cities context. He is also the PAD Group (Pervasive Computing & HPC Group) Coordinator.

Professor Kofuji has experience in Electrical Engineering and Computer Science, with emphasis on Advanced Computer Architectures, acting on the following topics: Pervasive Computing, Wireless Sensor Networks, Smart Grid and Cloud Computing, Parallel Processing, Processor Architecture (SMT, CMP, IMP), Reconfigurable Architecture, Cyber-Physical Embedded Systems, UWB radar applications, Advanced Imaging Systems. He was also the Coordinator at USP of the European FP7 EDOBRA Project;

Currently, he is a member of the following groups: i) CITI, Multidisciplinary Centre for Interactive Technologies, of which he is a founding member; ii) InovaLab@Poli; iii) Institute of Brazil-European Studies, which is dedicated to cross-boundary innovation, especially in Information and Communication Technologies; iv) USP Disasters Studies and Research Centre; v) Member of some ABNT task forces.

His main interest areas are: Pervasive Computing, Wireless Sensor Networks, Smart Grid, Cloud Computing, 5G and Future Internet and Internet of Things with applications in smart cities.

Marco Carvalho
Marco CarvalhoElmnto, CEO

Os desafios de carreira em IoT

Diante de um novo paradigma que reune conhecimentos de hardware, software, mecânica, negócios e inovação, o novo profissional do mercado de IoT, que está em fase de formação, tem o desafio de se capacitar para atender à demanda crescente, aproveitando as inúmeras oportunidades desta nova carreira. Como se preparar? O que é importante saber primeiro? Como se posicionar num mercado que já nasce sem fronteiras?

Nesta breve apresentação, apresentaremos nossa experiência como desenvolvedor do mercado de certificações profissionais no Brasil, aliado à experiência na condução da Elemento, empresa integradora de soluções de IoT, com base em dados de pesquisas da CompTIA e relacionamento com os profissionais do mercado de TI brasileiro.

Fernando Cabrera Giglio
Fernando Cabrera GiglioIBM, Gerente de Desenvolvimento
Fabio Cossini
Fabio CossiniIBM, IoT Enterprise Architect

How data storms can impact IoT: IBM and Weather Company

Quando empresas se tornam capazes de correlacionar sensores,  dados  metereológicos e capacidade cognitiva, infinitas são as possibilidades para soluções que possam ajudá-las a tomar melhores decisões de negócio.

Vamos mostrar como a IBM concilia todo o potencial da Weather Company com suas soluçÕes de Cognitive e Cloud neste contexto transformacional!

Huéliquis R. Fernandes
Huéliquis R. FernandesRenesas Electronics Brasil, Gerente

Importância da infraestrutura de software para viabilizar IoT

A Era da IoT impõe novos desafios e novas barreiras para as empresas que pretendem penetrar neste vasto mercado. A abordagem tradicional de "fazer tudo em casa", usada na maioria dos produtos feitos no Brasil, pode não ser suficiente para garantir a sobrevivência  neste cenário. A complexidade dos produtos para IoT requer uma infraestrutura de software que não é encontrada facilmente nos repositórios de código aberto, e o desenvolvimento dos mesmos implicam em dispender grandes somas de tempo e/ou dinheiro para desenvolver, otimizar e integrar os diversos elementos que o mais básico dos produtos IoT precisam ter: conectividade, armazenamento de dados e criptografia. Quais são as escolhas disponíveis? Quais são os riscos e as implicações de cada uma delas?

Huéliquis Romero Fernandes é gerente da Renesas Electronics Brasil e responsável pelas ações de marketing e operações desta empresa no mercado brasileiro. Ele é formado em Matemática com ênfase em Computação, e se graduou no ensino médio como Técnico em Eletrônica. Sua carreira começou no desenvolvimento de sistemas embarcados em 1986, servindo desde então como desenvolvedor, suporte técnico e marketing de soluções com dispositivos analógicos e digitais, e atua desde 1997 nas áreas de negócios de componentes eletrônicos e de alta tecnologia.

Coffee break

10h45 – 11h10

Sessão 4: Governança e Ecossistemas de Inovação

Quais as ações estratégicas necessárias para permitir uma maior governança e orientar os cuidados no desenvolvimento do portfólio de projetos e no gerenciamento da inovação em Internet das Coisas.

Coordenador da Sessão: Jeferson Marcondes

Jeferson Marcondes
Jeferson MarcondesWSCA, Diretor Executivo

Visão Geral sobre Padrões de IoT no Brasil

A definição de padrões e protocolos para garantir a  interoperabilidade para as aplicações de IoT será o diferencial para sua viabilização técnica e financeira. Vale ressaltar que padrões e normas internacionais viabilizam as transações comerciais na Organização Mundial do Comercio – OMC e geram riquezas  para o país.

Diretor executivo da WSCA Projetos e Serviços – World Smart for Community Advice e Business Strategic Advisor – TEKEVER – Portugal. Engenheiro Eletricista e Segurança do Trabalho, graduado pela Universidade de Taubaté (Brasil), MBA em Gestão de Energia da Fundação Dom Cabral (MG – Brasil)  e MBA em Conhecimento, Tecnologia e Inovação USP (SP – Brasil)  .

Atuo no setor de energia por mais de 28 anos, começando minha carreira na Eletropaulo. Trabalhei nas áreas de planejamento, projeto, manutenção, engenharia e desenvolvimento de novas tecnologias para a EDP – Energias de Portugal. Atuei mais de 20 anos na Engenharia de Medição. Coordenador GT de Medição ABRADEE e atualmente Coordenado a Comissão de Estudos – CE – 03: 013.01 medidores eletrônicos Integradores ABNT / COBEI.

Membro do Conselho IEC Normalização IEC/SMB:

  • IEC/SMB/SG3 – Smart Grid
  • IEC/SMB/SEG1 – Smart Cities
  • IEC/SMB/SyC – Smart Energy
  • IEC/SMB/SEG6 – MicroGrid
  • IEC/SMB/SG9 – Communication Technologies

Coordenador do grupo Smart Grid e Smart City no Fórum IoT.

Phil Beecher
Phil BeecherWI SUN, Chairman

Interoperable Wireless Communications Networks for IoT

With the ever increasing number of Internet of Things applications and of deployed devices, the need for robust, secure, interoperable and scalable communication networks to support them becomes even more critical.  This presentation outlines technical and practical considerations necessary to achieve this.

Phil Beecher is the Chairman of the Wi-SUN Alliance, an industry organization which promotes standards-based interoperable wireless communications products for Smart Utility Networks, Smart City and Internet of Things applications and implements a rigorous testing and certification program to achieve its aims.

Phil has extensive experience in wireless communications protocols, standards and testing. He was chairman of IEEE 802.15 TG4g (a wireless standard for Smart Utility Networks), vice chairman of IEEE 802.15 TG4m (TV Whitespace), vice chairman of the WiFi Alliance Smart Grid Task Group, Chairman of OpenSG Edge Conformity Task Group, Contributing Editor to IEEE802.15.4-2006 and has held positions in the US Smart Grid Interoperability Panel (SGIP) Test and Certification Committee, Telecom Industry Association and Bluetooth SIG.

He has been an active contributor in the development of communications standards and the specification of test plans for a number of Smart Utility Network standards, including Advanced Metering Infrastructure and Home Energy Management Systems.

He is a graduate of the University of Sussex with a degree in Electronic Engineering and holds patents in communications and networking technology.

Don Reeves
Don ReevesSilver Spring, Chief Technology Officcer

Networking and Security – From Smart Grid to IoT

The presentation explores the requirements, threats and mitigation strategies for achieving secure infrastructure for challenging environments at IoT scale, taking into account the experience provided by large Smart Grid deployments.

Don Reeves joined Silver Spring Networks in 2005 and brings over 25 years of experience in high-technology product development to his role as Chief Technology Officer. During his time at Silver Spring, Don has led the Software Engineering team to develop the UtilityIQ™ product suite, launched the company’s hosting business, led the worldwide Delivery organization, and most recently led the R&D and Managed Services teams. Don has provided technical and implementation leadership across many of the company’s key accounts including Florida Power and Light, Pacific Gas & Electric, the Exelon family of utilities, Jemena, CitiPower and Powercor in Australia and CPFL Energia in Brazil.

Before joining Silver Spring Networks, Don served as Vice President of Engineering at Black Pearl where he managed the software development, support and services teams. Prior, Don was the Vice President of Engineering at Commerce One, where he managed the development of the company’s market-leading SRM application suite. Before that, Don led the software development organizations at a pair of start-ups -MyTurn.com and GlobalPC- where his teams developed and delivered a highly efficient and easy-to-use alternative PC desktop and an accompanying Internet portal. Don began his career at Geoworks, working on the first generation of smart phones and mobile devices.  He received his BS in Electrical Engineering and Computer Science from the University of California, Berkeley.

Painel : Participação do Brasil em organismos internacionais de padronização

Coordenador do Painel: Jeferson Marcondes

Jeferson Marcondes
Jeferson MarcondesWSCA, Diretor Executivo
Don Reeves
Don ReevesSilver Spring, Chief Technology Officcer
Phil Beecher
Phil BeecherWI SUN, Chairman

Intervalo para o Almoço

12h45 – 14h00

Sessão Platinum Internacional

Coordenador da Sessão: Edson Perin

Mark Roberti
Mark RobertiHP invited Speaker - RFID Journal Founder and Editor

Creating Business Value by Enabling the Internet of Things

Radio frequency identification and RF sensors are one way in which companies can link things—assets, products, inventories and environments—to the Internet. Mark Roberti, RFID Journal's founder and editor, will share how companies are using sensing and networking technologies to engineer smarter products; to make manufacturing more efficient, intelligent and autonomous; and to empower consumers. In addition, hear what strategies leading-edge companies are employing to take advantage of the Internet of Things.

Sessão 5: Recomendações e desafios para IoT no Brasil e na América Latina

Coordenador da Sessão: Gabriel Antonio Marão

Luis Mangi
Luis MangiVice-Presidente de Pesquisas

Arquitetura para negócios Digitais

Os negócios digitais exigem dos líderes de TI uma abordagem renovada, desde processos de negócio e arquitetura empresarial até novos padrões de solução e tecnologias emergentes. Uma nova economia de conexões está no centro desse novo paradigma, no centro dos negócios digitais.

Luis Mangi é Vice-Presidente de Pesquisas no Gartner na área de Estratégia de Aplicações e Governança. Tem 35 anos de experiência profissional em multinacionais de diversos segmentos, onde assumiu posições executivas em áreas de marketing e de tecnologia. No Gartner desde 2012, é um dos analistas que lidera as pesquisas em estratégia de aplicações “pace-layered”, organização bimodal, desenvolvimento de aplicações e inovação.

Painel : Principais Desafios para IoT no Brasil e na América Latina

Coordenador do Painel: Luis Mangi

Gabriel Antonio Marão
Gabriel Antonio MarãoFórum Brasileiro de IoT, Presidente
Formado em Engenharia Eletrônica pela FEI – Faculdade de Engenharia Industrial, em 1971, desenvolveu-se em Tecnologia da Informação na IBM e no Banco Itaú. Na IBM, gerenciou sistemas de grande porte de uso compartilhado por empresas que utilizavam os serviços IBM. Executivo de TI do Banco Itaú, responsável por desenvolvimento de sistemas de grande porte, bem como por desenvolvimento do pessoal técnico e por novas tecnologias. Vice Presidente Itautec dirigiu as Divisões de Componentes e de Informática e, a Divisão de Comercio Exterior, sendo o Executivo responsável pelas operações de vendas no exterior de produtos de hardware e de software,  aplicativos e ferramentas de desenvolvimento. Responsável pela abertura e implantação das operações da Itautec nos EUA, Argentina, México, Equador e Espanha, foi seu Diretor Estatutário nas operações nos EUA, Portugal e Espanha, tendo sido o condutor do processo de aquisição de empresa espanhola e sua integração à operação de Portugal. Foi Diretor Superintendente da Adiboard, Joint Venture entre a Itautec e a empresa americana Kolmorgen. Em sua carreira foi executivo das empresas: ENGESA, IBM, BANCO ITAÚ, ITAUTEC, ITAUCOM, Itautec América (EUA), Banctec (Portugal), RIVA (Espanha). Atualmente é sócio administrador da Perception serviços de Informática e Membro dos conselhos do CTI – Centro Tecnológico de Informática Renato Archer e do ITS – Instituto de Tecnologia de Software.

Presidente do Fórum Brasileiro de Internet das Coisas.

Paulo Manoel Lenz Cesar Protasio
Paulo Manoel Lenz Cesar ProtasioPresidente da ACRio
Consultor e empresário formado em Direito com extensão em Administração de Empresas e Marketing. Promoveu na década de 70 a criação do Conselho de Desenvolvimento Comercial do Ministério da Indústria e Comércio e foi dele seu primeiro Secretário Geral. Exerceu na mesma época (de 1971 a 75) a presidência da EMBRATUR – Empresa Brasileira de Turismo, quando recebeu varias condecorações destacando-se a Ordem Rio Branco, o Mérito Tamandare, a Aquila Azteca e a do Pacificador.

 

Durante todos esses anos prestou serviços a várias instituições empresariais tendo sido presidente da ABM – Associação Brasileira de Marketing, da ABECE (Associação Brasileira das Empresas Comerciais Exportadoras), da WTCA (World Trade Center Association), fundador da WTA (World Teleport Association) e da ALAT (Associação Latino Americana de Tradings). Serviu como presidente da Câmara de Usuários da Superintendência Nacional da Marinha Mercante, tendo sido membro do Conselho de Administração da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) além de membro fundador, representando a Prefeitura do Rio de Janeiro do CAP (Conselho de Autoridade Portuária), além de formulador e coordenador do Corredor de Transporte Centro – Sudeste. Foi presidente a ANUT – Associação Nacional dos Usuários de Transporte de Carga, entidade nacional com sede no Rio de Janeiro e Presidente da Câmara Temática da Infraestrutura de Agronegócios do MAPA – Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Como advogado mantém o escritório Protasio Advogados, com sede na Av. Beira Mar 200, 8o andar sendo dirigente da BMI – Brasil Marketing Internacional S. A, sócia fundadora do sistema World Trade Center no Brasil e de várias empresas do setor tecnológico. Nas áreas institucionais ligadas ao setor internacional, além de ser “Member for Life” da IETA – International Emissions Trade Association, com sede Genebra, da qual foi fundador e primeiro Presidente igualmente fundador da AEB – Associação do Comércio Exterior do Brasil e Grande Benemérito da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Exerceu durante quatro anos 1989-1993 a presidência da Associação Comercial do Rio de Janeiro, tendo sido promotor dos mais diversos movimentos de resgate econômico do Rio, retornando a Presidência em 2015.

 

Na primeira presidência da ACRio ajudou a fundar e tornou-se Diretor do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável – CEBDS, onde desenvolveu importante trabalho sobre os Eixos de Desenvolvimento e Integração Regional bem como sobre as atividades ligadas ao Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. Como empresário continua atuante em diversos projetos de interesse nacional, tendo colaborado de forma frequente com diferentes áreas do governo federal, de diversos estados e de diferentes municípios. No momento coopera com o Governo e com a BM&F na criação do Mercado Brasileiro de Redução de Emissões e na atualização tecnológica da logística.

Marcia Ogawa Matsubayashi
Marcia Ogawa MatsubayashiSócia Líder Indústria TMT, Deloitte
Líder nacional da indústria de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações e Líder de Analytics & IoT da Deloitte Brasil, com mais de 30 anos de experiência em Estratégia e Tecnologia. Advisor das principais empresas de Tecnologia e Telecomunicações, desenvolvendo soluções inovadoras e uso estratégico de Analytics/Big Data/IoT.  Coordena grupos de pesquisa junto a universidades, empresas de tecnologia e “chief-data-officers” de grandes organizações. Foi anteriormente líder de consultoria para indústria de Finanças. Hoje é professora convidada do curso de pós-graduação em IoT/Smart Cities da Escola Politécnica da USP. Representa a Deloitte nos principais eventos nacionais e internacionais. Faz parte do grupo de Inovação e do programa de desenvolvimento de mulheres na Deloitte Brasil. Graduada em Engenharia Eletrônica pela USP e possui MBA pela FGV.

Painel Empreendedorismo: Principais desafios para IoT no Brasil e na América Latina

Coordenador do Painel: José Vidal Bellinetti Jr.

José Vidal
José VidalDiretor Executivo do ITS -
Dir. Fórum Brasileiro de IoT

Como incentivar empreendedorismo em IoT

O empreendedorismo é uma atitude de grande valor. Empreender em TI nos aproxima dos grandes e importantes movimentos de transformação digital de nossos dias. No caso de Internet das coisas empreender é realmente importante, mas traz complexidade maior pela combinação de requerimentos de Software, Comunicação e Hardware bem como pela intensa transformação da cadeia de valor.

A cadeia de Valor da IoT reserva às pequenas e medias empresas papeis que vão além da geração de aplicações e se abrem novos segmentos de infraestrutura e de hardware. Que papel se reserva às empresas de IoT nascentes?  Quais são as suas necessidades? Quais as oportunidades de efetivos desenvolvimentos?

Como importantes players vem estas questões e quais são as iniciativas a serem destacadas?

Engenheiro pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) é pós-graduado em Economia pela UNB, Finanças IBMEC. Trabalhou em entidades de Fomento à Pesquisa – CNPq/MCT, DECET/SCTDE-SP – e em Institutos de Pesquisa – IPT e IPEN. Fundador do Instituto de Tecnologia de Software em 1997, responsável pela área de Pesquisa e Desenvolvimento, atualmente é diretor Executivo do ITS. Desenvolve atividades de promoção ao empreendedorismo, organiza Espaço Inovação desde 2005. Coordenador do Desafio IoT Cidades Inteligentes.
Flávio de Andrade Silva
Flávio de Andrade SilvaCoordenador de IoT do CPqD
Coordena o grupo de trabalho corporativo em Internet das Coisas; Desenvolveu e realiza o acompanhamento do plano corporativo de IoT e contribuiu para a elaboração de diversos projetos no tema de Cidades Inteligentes, Sistemas de Energia (IoE – Internet of Energy) e Agricultura. Interage com o ecossistema local de IoT e empreendedores. Anteriormente foi líder técnico na Gerência de Sistemas Ópticos onde coordenou projeto e desenvolveu metodologias para Design de circuitos integrados para sistemas ópticos coerentes desde o Matlab até placed netlist.
John Lemos Forman
John Lemos FormanPresidente Conselho Riosoft
Mestre em Informática (ênfase em Engenharia de Software) e Engenheiro de Computação pela PUC-Rio, com pós-graduação em Gestão de Empresas pela COPPEAD/UFRJ. É Presidente do Conselho Deliberativo da Riosoft, vice-presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro – TIRIO e membro do Conselho Consultivo e de normas Éticas da Assespro-RJ. É sócio e Diretor da J.Forman Consultoria e coordenador acadêmico da área de desenvolvimento de sistemas da Escola Superior de Redes da RNP. Acumula mais de 30 anos de experiência na gestão de empresas e projetos inovadores de base tecnológica.
Leonardo Mattiazzi
Leonardo Mattiazzi Vice-presidente de inovação da CI&T / Tech Experience Network Coord.
Desde 1997 na companhia, Mattiazzi liderou diversas unidades de negócios de alta complexidade, tendo sido co-founder da Sensedia – uma empresa com foco em estender as fronteiras de seus clientes a partir de plataformas digitais conectadas – e responsável pela criação e expansão da CI&T nos EUA, onde viveu de 2006 a 2013. Durante o período, Leonardo foi eleito um dos 40 profissionais de destaque pelo Philadelphia Business Journal (40 Under 40) e nomeado Top 10 no ranking Power 50 Nearshore Americas 2013 de executivos mais influentes na indústria de nearshore outsourcing. Possui graduação em Engenharia Elétrica pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas e MBA pela Fox Business School, Temple University na Filadélfia, PA.
Jimmy Lui
Jimmy LuiSr Manager de Technology Consulting & Open Innovation da Accenture
Mais de 15 anos atuando em grandes empresas do setor financeiro. Atualmente faz parte do time da Accenture que ajuda grandes companhias nos desafios de serem mais abertas, inovadoras e digitais.

Patrocínio

Apoio