Histórico

O Fórum Brasileiro de Internet das Coisas foi criado em 2011 com o objetivo maior de promover o desenvolvimento técnico e econômico do país através da promoção da Internet das Coisas.

Originado através de ações coordenadas por grupo de pessoas atuantes no mercado de TI&C há muitos anos, em indústrias, associações setoriais, governo, academia e mídia. Inicialmente motivados pela potencialidade do RFID para o nosso país, organizaram seminários e eventos entre 2007 e 2010, começando a introduzir a temática da Internet das Coisas, IoT (Internet of Things).

 

A IMPORTÂNCIA DA INTERNET DAS COISAS PARA O BRASIL

 

Com a presença de 150 especialistas da área de Tecnologia de Informação e Microeletrônica discutiu-se em São Paulo, em julho de 2011, a evolução do uso da tecnologia de identificação por rádio frequência (RFID) para automação de processos de diferentes áreas da atividade humana. Internet das Coisas, Internet of Things (IoT) na sigla em inglês, é o nome que está se consolidando como representativo do uso de sistemas de comunicação entre objetos, não sendo necessária a intervenção humana para que a comunicação e decisões possam ocorrer.

A Internet de hoje é a navegação pelo mundo virtual. A IoT é a extensão da Internet ao mundo físico e real, propiciando o interfaceamento e a interação com objetos, animais e seres humanos. Hoje se considera que a expansão do uso da Internet passa obrigatoriamente pela IoT. É por meio dela que virão inovações ainda nem sequer imaginadas e novos avanços em ganhos de produtividade. A Internet das Coisas estende a Internet de nossos dias, permitindo o desenvolvimento de aplicações e serviços que proporcionarão grandes benefícios sociais, benefícios estes de difícil implementação nos dias de hoje, por conta de restrições tecnológicas que passam a ser superadas dentro do novo conceito de IoT.

Por exemplo, vários países estão desenvolvendo projetos de “Smart Cities”, que oferecem experiências inovadoras em transporte, preservação ambiental, convivência e economia de energia. Mundialmente reconhece-se a necessidade de pesquisas adicionais, bem como as necessidades de padronização e testes de interoperabilidade decorrentes do uso destas tecnologias. Já existem vários desenvolvimentos no Brasil de soluções utilizando RFID, sendo que aparentemente, nenhumas delas considera o conceito de IoT, embora possam até estar prevendo algumas funções que são consideradas como tecnologia de IoT. A principal conclusão do encontro realizado em São Paulo é a de que o Brasil precisa estar preparado para a utilização e o desenvolvimento de sistemas de IoT. E para isso é preciso estar presente nos diferentes fóruns internacionais em que se discute a padronização desta tecnologia, bem como desenvolver uma Agenda Estratégica de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação associada a um Programa de Trabalho que direcione os investimentos das empresas e das agências de fomento para atender às grandes demandas nacionais.

A decisão do encontro foi a de se criar um fórum de especialistas e interessados no tema, para incentivar a mobilização brasileira. Foi definida como primeira etapa do trabalho deste fórum a geração deste documento a ser enviado a setores interessados, envolvidos com desenvolvimento, tecnologia e inovação, para explicitar nossas conclusões, que são as seguintes:

  • 1. IoT é o futuro próximo de expansão da Internet.
  • 2. Agora é o momento do Brasil estimular o uso de IoT.
  • 3. É importante construir uma Agenda Estratégica de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, associada a um Programa de Trabalho que inclua: a. Projetos de ampla aplicação social e de mercado para acelerar o surgimento de componentes e equipamentos de grande volume e custos competitivos; b. A formação de recursos humanos qualificados e o estabelecimento de programas de disseminação da informação em escala nacional.
  • 4. Paralelamente, deve-se avaliar a oportunidade de criação e trabalhar para instalação do FÓRUM DE COMPETITIVIDADE DE IoT para acompanhar e analisar a evolução da IoT no Brasil e no mundo, com ampla participação de acadêmicos, técnicos, empresários e representantes de órgãos governamentais.
  • 5. Finalmente, mas não menos importante, o Brasil deve se fazer presente internacionalmente em pesquisas e fóruns de trabalhos que visem a padronização da IoT.

 

Objetivos do Fórum

  • Mostrar a importância da IoT para a sociedade em geral;
  • Mostrar o que está acontecendo com essas tecnologias no mundo;
  • Motivar a sociedade para que o Brasil seja um participante global nesse segmento.

 

O Fórum tem procurado atingir seus objetivos por meio da organização e realização de eventos e workshops no Brasil, participação em eventos nacionais e internacionais, publicação de artigos e entrevistas e organização de grupos de trabalho.

Esse trabalho foi muito bem-sucedido como demonstram os seguintes dados:

Eventos realizados no Brasil – 25 (total de 1.520 participantes)

  • Seminários de meio período, com diversos palestrantes locais – 14
  • Palestrantes
  • Seminários com palestrantes internacionais – 11

Eventos realizados por terceiros, nos quais o Fórum participou como palestrante

  • no Brasil – 20
  • no Exterior – 15

Base de dados de membros / participantes das atividades do Fórum

  • 2.500

Câmara M2M/IoT

  • O Fórum Brasileiro de IoT foi convidado pelo Minicom para ser um dos membros.

Parcerias / relações com União Europeia

  • Projetos
  • PROBE-IT, CASAGRAS2
  • membros da diretoria do Fórum participaram desses projetos
  • International Forum
    • MOU assinado em agosto de 2012 entre o Fórum Brasileiro de IoT e o IoT International Forum
  • Gibi IoT

– Em parceria com o Alexandra Institute (Dinamarca) o Fórum publicou o Gibi de introdução à IoT, em 2013, conforme pode ser baixado em http://iotcomicbook.files.wordpress.com/2013/10/iot_comic_book_special_br.pdf

Grupos de Trabalho

  • O Fórum possui 8 grupos de trabalho por segmentos de interesse.

Internacionalmente o Fórum, por meio dos membros de sua diretoria, estabeleceu grande relacionamento com instituições da União Europeia e contatos que se estendem ao Japão e Sudeste Asiático.

Diretoria Atual

  • Gabriel Antonio Marão – Presidência
  • João Neves Fernandes – Diretoria Administrativa – Financeira
  • José Roberto de Almeida Amazonas – Diretoria Internacional
  • José Vidal Bellinetti – Diretoria de Alianças e Parcerias
  • Alberto Paradisi – Diretoria Técnica